Perguntas na hora de contratar transportes especiais

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Transporte de cargas especiais

É uma modalidade rodoviária que envolve complexa logística, e normalmente é utilizada para atender a produção industrial, e outros setores que precisem deslocar equipamentos de grandes dimensões, como construção civil, energia e agricultura.

A nomenclatura desse tipo de transporte tem sinonímia com carga excedente, carga indivisível e carga superdimensionada. Nesse texto vamos explicitar um pouco mais sobres esses e outros termos, e responder perguntas indispensáveis para ajudar na contratação da transportadora certa. Nos acompanhe até o final.

¿O que define uma carga especial?

transporte de cargas especiais é definido pelas dimensões básicas da carga, somada as do conjunto transportador (cavalo mecânico + reboque/semirreboque). A carga excedente é assim nomeada, pois ultrapassa o formato comercial de largura, altura, comprimento e peso, autorizados na Resolução 210/2006 do CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito). Vejamos quais são:

  • Largura máxima – 2,60 m.
  • Altura máxima – 4,40 m.
  • Em relação ao comprimento, terão referências diferentes de acordo com os tipos de veículos, porém, no caso de caminhão trator e reboque/semirreboque o limite será de 19,80 m.

Já em relação ao peso será variável. Mas, é importante esclarecer que o excesso aqui é a partir da soma do peso da carga + peso do caminhão trator + peso do reboque/semirreboque. O conjunto transportador terá um limite específico de carga que poderá transportar, e isto é definido pela quantidade de eixos e rodas dos veículos.

O órgão que regula, e desenvolve junto com o CONTRAN os parâmetros para conceituar carga especial é o DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes). O DNIT expressa essas diretrizes em sua Resolução 01 de janeiro de 2016. É o DNIT que libera a Autorização Especial de Trânsito (AET), documento condicional para o transporte de cargas especiais acontecer.

Saiba mais sobre essa resolução do DNIT.

Quem fiscaliza esse tipo de transporte é a Polícia Rodoviária Federal (PRF), nas estradas da União. Em rodovias estaduais e municipais, a fiscalização desse tipo de transporte fica a cargo dos Batalhões de Trânsito Estaduais e/ou Autarquias de Trânsito. Logo, uma transportadora preparada para atender esse tipo de demanda tem que conhecer a fundo esses conceitos, e ter equipamentos para realizar essas operações.

¿Quais equipamentos são indicados para realizar o transporte de cargas especiais?

Esse ponto é fundamental no momento de se escolher uma empresa para realizar o transporte de carga indivisível. Não haverá transporte em veículos inadequados as dimensões e peso da carga. O caminhão trator e o reboque/semirreboque têm de possuir certificados dos fabricantes, que atestem sua capacidade de tração e de suportar peso, por exemplo.

A Resolução do DNIT delimitará a capacidade de cavalos mecânicos e pranchas a partir de seus conjuntos de eixos, e o tipo de suspensão.

Com as dimensões e pesos da carga já conhecidos, deve se fazer o levantamento com a transportadora dos seguintes pontos:

1 – A empresa tem o caminhão trator certo para tracionar seu peso + o da carreta/prancha + carga? Se sim, solicitar informações como Capacidade Máxima de tração (CMT), Peso Bruto Total Combinado (PBTC)

2 – A transportadora terá pranchas com distribuição de eixos adequada a sua carga? Nesse ponto, solicite informações da distância entre eixos das carretas, e quantidade de pneus por eixo.

3 – A empresa conseguirá emitir a AET junto ao DNIT? Como dissemos acima, sem AET o transporte de cargas especiais não acontece. Por isso, no momento de contratar uma transportadora para esse serviço, veja se ela consegue dá entrada nesse tipo de documento. É um dos maiores entraves para essa operação, pois algumas vezes, demoram semanas para ser liberado.

A AET é tão importante para o transporte de cargas especiais, que é por meio dela que a empresa saberá da necessidade de escoltas para acompanhar o conjunto. As escoltas são carros credenciados, que protegem a integridade da carga e dos terceiros, durante todo o percurso da viagem. Elas também podem ser da PRF, ou dor órgãos que fiscalizarem as rodovias estaduais e municipais (dependerá da maior complexidade de peso e dimensões, ou quando necessitar interromper vias importantes).

Ainda sobre os equipamentos, grandes empresas de carga especial terão em sua frota:

  • Cavalos mecânicos com 3 ou mais eixos
  • Pranchas de 3 ou mais eixos, com no mínimo 4 pneus por eixo;
  • Vigas, gôndolas, linhas de eixo (são tipos de implementos especiais que servem para transportar cargas acima de 100 toneladas)

¿Todo transporte de carga especial precisa de estudo de viabilidade?

Sim. Contrate uma empresa que esteja pronta para desenvolver um estudo de rota completo, da origem ao destino. Imagine ter uma peça com excesso de altura, e durante o trajeto esbarrar num viaduto. É prejuízo na certa. Por isso, no transporte de cargas especiais tanto o cliente quanto a transportadora não podem abrir mão do estudo de viabilidade. Nele serão traçadas as rotas, pontos de parada, condições das vias, entre outros. Essas informações serão essenciais aos motoristas, e os demais funcionários envolvidos na operação.

Esteja atento a estes pontos básicos, e tudo ocorrerá bem no transporte de cargas especiais que sua empresa o indústria seja responsável.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

(045) 3526-0088

rodoriva@rodoriva.com.br

Rua Sérgio Gaspareto, 1818, Sala 2
Foz do Iguaçu – Paraná – 85859-560

Veja nossa localização ›

Registre o seu e-mail aqui para receber todas as novidades da Rodo Riva.

Hospedado por: